Os meses de março e abril foram meio parados aqui no blog porque os autores ficaram envolvidos com suas respectivas atividades acadêmicas, mas hoje retomamos as publicações com um apanhado geral dos fatos que movimentaram o mundo das agências de notícias nos últimos dois meses. Por isso mesmo, a edição de hoje está bem mais recheada que o normal. Sem mais delongas, vamos a eles:

Crise do impresso derruba faturamento da AP – O faturamento da Associated Press teve uma queda brutal em 2016 em relação ao ano-base de 2015, sentindo principalmente a contração no setor dos jornais impressos, que formam ao mesmo tempo a base da clientela e a composição acionária da agência norte-americana. O balanço positivo foi de US$ 1,6 milhão, muito abaixo dos US$ 183,6 milhões do ano anterior, segundo a própria empresa. Em 2015, a agência foi beneficiada por uma medida de isenção fiscal, levando a uma alta nas receitas. O relatório financeiro foi divulgado no dia 19/4.

Lucro da Thomson Reuters supera o esperado – Por outro lado, no grupo que controla a Reuters a supresa foi um lucro acima do previsto no início de 2017. As expectativas de lucro dos analistas foram superadas por menores custos operacionais e melhores tendências de assinaturas, apesar de um crescimento lento na receita das maiores divisões da empresa (gestão de bases de dados jurídicos e científicos). Além do lucro maior, a holding registrou um leve aumento no faturamento geral do primeiro trimestre de 2017, confirmando a projeção de crescimento gradual para o resto do ano. Agora, a empresa declara que acabou o período de “enxugamento” dos últimos anos e espera voltar a expandir negócios como a automatização de análise de dados de bolsas de valores, chamada plataforma Elektron. A Thomson Reuters é o grupo empresarial sediado no Canadá que detém 100% das ações da agência Reuters, sediada em Londres. A holding ganha muito mais dinheiro com informação financeira, jurídica e científica do que com jornalismo.

filesuscubamediadiplomacy_16x9_WEB.jpg

Prensa Latina reabre escritório em Washington – A agência de notícias cubana Prensa Latina reabriu na sexta-feira 28/4 o seu bureau em Washington, capital dos EUA, depois de 50 anos fechado, segundo a AFP. A reabertura marca uma nova etapa no intercâmbio de informações entre os dois países, acompanhando a reaproximação diplomática iniciada em 2014. O diretor da agência cubana, Luis Enrique Gonzalez, esteve na solenidade de reabertura. O escritório da PL na capital estadunidense foi aberto em 1959 e fechado em 1967, após ser invadido e depredado por agentes do FBI. Em 1962, os EUA chegaram a prender o então correspondente da agência cubana, Francisco Portela.

Conferência da MINDS mira em negócios fora do setor da mídia – A expansão dos negócios de agências para clientes não-mídia, do jornalismo para fornecimento de inteligência corporativa e serviços para mídia além do conteúdo noticioso foram temas da conferência semestral do consórcio MINDS International, que reúne as maiores agências de notícias do mundo. O evento aconteceu em Zurique, na Suíça, nos dias 27 e 28/4, sediado pelas agências SDA-ATS (a agência nacional suíça) e Keystone (de fotografia). Entre as organizações presentes, estavam a gigante seguradora Swiss Re, a empresa de TI para comunicação Mainstream Data e a Google Europa, cuja sede fica em Zurique. Também esteve no evento a Sourcefabric, empresa de software que fornece um gerenciador de conteúdo para agências programado em código aberto, do qual já falamos no boletim de 5-11 de fevereiro.

Otman Meriche é nomeado diretor operacional da AFP Services – O executivo Otman Meriche, após cinco anos como diretor de marketing da agência de notícias francesa AFP, assumiu o cargo de diretor-executivo da AFP-Services, a plataforma de download de conteúdo para clientes não-mídia. O jornalista Jon Dillon, antecessor no cargo, vai para a Direção de Desenvolvimento de Negócios. A troca de postos faz parte do Plano de Recuperação e Desenvolvimento Empresarial da AFP, lançado em dezembro. Com ele, a agência francesa espera conquistar 1000 novos clientes em 5 anos, especialmente não-mídia.

20170504 Agências de Omã e Chipre assinam acordo de cooperação.png

Agências de Omã e Chipre assinam acordo de cooperação – Os diretores da agência de notícias ONA, de Omã, Mohammed bin Mubarak al-Oraimi, e da agência CNA, do Chipre, Larkos Larkou, assinaram na quarta-feira (3/5) em Mascate um memorando de entendimento para iniciar uma cooperação direta entre as duas agências (foto acima). O Chipre abriga a sede regional para o Oriente Médio de várias agências ocidentais. Além das agências omanita e cipriota, os seguintes pares de agências também assinaram acordos bilaterais de cooperação específica: Trend (Afeganistão) e MIA (Macedônia), Kazinform (Cazaquistão) com o portal Turkmenistan Today (Turcomenistão)TTXVN (Vietnã) e Kyodo (Japão)TTXVN (Vietnã) e AAP (Austrália)TTXVN (Vietnã) e KPL (Laos)TTXVN (Vietnã) e AKP (Camboja), e ANSA (Itália) com a TAP (Tunísia).

Agência do Vietnã solicita à AFP cooperação em capacitação para reportagem – E, por falar na TTXVN, ela pediu à agência francesa AFP uma parceria para operar um programa de capacitação para repórteres vietnamitas. A ideia é treinar jornalistas locais no Vietnã em técnica de redação e recursos multimídia para trabalhar nos veículos vietnamitas publicados em francês, como o jornal Le Courrier du Vietnam e o portal Vietnamplus. O pedido partiu do diretor-geral da TTXVN, Nguyen Duc Loi, em reunião com o presidente-executivo da AFP, Emmanuel Hoog, em Hanoi, no dia 31/3. Hoog prometeu “considerar” a solicitação. Atualmente, a AFP procura expandir seu mercado na Ásia, diversificando produtos de informação. A França foi o país europeu que dominou e colonizou o Vietnã entre 1885 e 1954. TTXVN é a sigla original em vietnamita para Thông Tấn Xã Việt Nam, que por vezes é traduzido para francês como Agence Vietnamienne d’Information (AVI) e para inglês como Vietnam News Agency (VNA).

MikeAbdullah Bernama
Mikhail Abdullah, da agência Bernama

Subeditor da Bernama se aposenta após 30 anos de casa – O jornalista Mikhail Raj Abdullah, editor-chefe assistente da agência de notícias Bernama, da Malásia, aposentou-se nesta quinta-feira (4/5) após 30 anos de trabalho na redação. “Foi um passeio de montanha russa”, disse Abdullah no blog Bernamaians, mantido por funcionários da agência malaia. O jornalista, que hoje apresenta o programa de economia Biz Talk na TV all-news da Malásia, BNC, afirmou que o futuro da agência de notícias deve ser investir em serviços audiovisuais.

Morre jornalista luso-angolana Carla Pote – Morreu em Lisboa no dia 3/4 a jornalista Carla Pote, 52 anos, que trabalhou para a agência Lusa. Carla Marina Fernandes Pote nasceu em Angola e entrou na Lusa em 1989, trabalhando em funções administrativas, primeiro em Luanda e depois na sede da empresa, em Lisboa. Só em 1996 é que passou a exercer o jornalismo: foi redatora da agência portuguesa nas editorias África e Local, e correspondente no litoral do Alentejo, em Portugal. Depois, foi correspondente em Lisboa para o jornal angolano País, entre 2008 e 2010. Ela deixa dois filhos adolescentes.

Índia ganha 6ª agência de notícias oficialmente credenciada – Mais uma agência de notícias entrou para o seleto rol das empresas credenciadas junto ao governo indiano para participar das coberturas oficiais: a GNS (Gujarati News Service) recebeu o privilégio no dia 28/4. A empresa, sediada em Gandhinagar e lançada em julho de 2009, presta serviço noticioso apenas no idioma guzerate, predominante na região de Bombaim, Ahmedabad, Damão e Diu. A decisão, emitida pelo Ministério da Informação da Índia, flexibilizou os critérios para credenciamento oficial de agências, permitindo à GNS unir-se ao clubinho que até agora incluía apenas PTI (Press Trust of India, a principal do país), UNI (United News of India), IANS (Indo-Asian News Service), PIB (Press Information Bureau) e Hindustan Samachar. A Índia é um dos países com maiar tradição no jornalismo de agências.

Agência da Eslováquia ganha prêmio da Aliança Europeia de Agências – A TASR, agência de notícias da Eslováquia, foi a escolhida para receber o Prêmio de Excelência em Qualidade para Agências de Notícias 2017, concedido pela Aliança Europeia de Agências de Notícias (EANA). A motivação para a escolha, divulgada no dia 11/4, foi a criação de um agregador de redes sociais, denominado SomeCan (Social Media Content Analysis), pela agência eslovaca. É a primeira vez que a TASR ganha um prêmio na competição europeia, que reúne 32 agências de notícias. No ano passado, a agência vencedora foi a alemã DPA. O SomeCan pesquisa status de usuários no Facebook e no Twitter e classifica-os em categorias de acordo com a freqüência e a ocorrência. O software funciona em inglês e eslovaco e foi criado em cooperação com a empresa eslovaca de TI Drezzio. A TASR receberá o prêmio em setembro em Belgrado, capital da Sérvia.

Agência Mural busca verbas por financiamento coletivo – Por último, uma notinha sobre uma entidade que não é agência de notícias, mas sim agência de jornalismo (como A Pública), e precisa de ajuda para sobreviver em tempos de sufoco para a mídia alternativa: a Agência Mural está buscando doações por meio da plataforma de financiamento coletivo Catarse para sustentar seu trabalho que mobiliza jovens jornalistas da periferia de São Paulo. Criada em 2010 como um blog hospedado no site da Folha de S.Paulo, a Mural evoluiu para uma organização que mantém serviços voltados para moradores de áreas pobres e fornece conteúdo sobre as favelas e periferias paulistanas para a mídia (inclusive a grande mídia). O projeto foi iniciativa dos jornalistas Bruno Garcez e Izabela Moi. Agora, para continuar sustentável, a entidade recorre ao financiamento coletivo. A meta da Mural é arrecadar R$ 36 mil até sexta-feira, dia 12/5.

Anúncios