Um bombardeio israelense destruiu o escritório da agência de notícias turca Anadolu na Faixa de Gaza neste sábado (4/5), na escalada de agressão contra os palestinos justamente no início do mês do Ramadã. Não houve vítimas, mas o escritório foi arruinado.

Segundo a própria agência estatal turca, jatos militares israelenses atingiram o prédio da redação com pelo menos cinco mísseis, depois de fazerem disparos de advertência. Os jornalistas saíram às pressas do prédio, chamado Al-Gussin, que ao ser atingido desabou.

A nova onda de agressão israelense teve início na sexta-feira, considerado dia santo para os muçulmanos. Seis palestinos foram mortos por Israel desde então.

O ataque gerou críticas na Turquia, tanto por parte da base governista quanto de políticos da oposição. Um porta-voz do partido nacionalista laico CHP, Faik Öztrak, condenou a agressão e expressou votos de recuperação do trauma para os jornalistas da empresa.

Enquanto o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan, classificou a ação de “terrorismo israelense“, o ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, afirmou que Israel cometeu um crime de guerra.

“Atacar o escritório da Anadolu em Gaza é um novo exemplo da irresponsável agressão israelense. A violência de Israel contra inocentes constitui um crime contra a humanidade“, disse ele.

A agência Antara, da Indonésia (o maior país muçulmano do mundo) também condenou Israel pelo ataque aos jornalistas.

“Israel mirar o escritório da Agência Anadolu é uma tentativa de se livrar de testemunhas, uma preparação para massacres em Gaza”, disse o governo palestino em nota.

A Anadolu (cujo nome significa Anatólia, o nome tradicional europeu para a maior parte da região onde hoje fica a Turquia) é uma das maiores agências de notícias do mundo islâmico, mantendo 104 escritórios na Turquia e em 34 países e empregando 2.200 profissionais. A agência foi fundada em 1920 por Mustafá Kemal, o Atatürk, considerado patriarca da Turquia republicana, e faz parte de diversas organizações de agências pelo mundo, como o Conselho Mundial de Agências de Notícias (NAWC), a Aliança Europeia de Agências de Notícias (EANA), a Organização Asiática de Agências de Notícias (OANA), a Associação Mediterrânea de Agências de Notícias (AMAN), a Associação de Agências de Notícias do Mar Negro (BSANNA), a Associação de Agências de Notícias de Línguas Túrquicas (TKA), a Associação de Agências de Notícias dos Bálcãs (ABNA) e o consórcio MINDS International. A empresa oferece cursos de treinamento e capacitação para jornalistas do Oriente Médio e da Ásia Central.

A agência vem crescendo nas últimas duas décadas, coincidindo com o governo do partido islamista turco AKP.

O governo de Recep Tayyip Erdoğan tem sido um dos principais críticos internacionais de Israel, oferecendo apoio aos palestinos e rompendo uma tradição de neutralidade da diplomacia turca naquela questão. Em 2010, Israel atacou um navio turco que levava ajuda humanitária para a Palestina, no episódio que ficou conhecido como “o ataque à Flotilha da Liberdade”.

O Estado de Israel ocupa ilegalmente os territórios palestinos desde 1967.