A agência de notícias EFE, a principal da Espanha e uma das maiores do mundo, completa 80 anos hoje, nesta quinta-feira, dia 3 de janeiro de 2019. A empresa nasceu em 1939, no fim da Guerra Civil Espanhola, quando os fascistas de Francisco Franco reuniram três agências espanholas precedentes e fundaram uma agência nacional unificada para difundir para o mundo a versão do seu lado sobre o conflito.

O nome da EFE não é uma sigla, mas uma referência à letra inicial das agências privadas que lhe deram origem: a Fabra, a Faro e a Febus. Mas uma anedota corrente entre os jornalistas da agência diz que o nome, na verdade, faria referência às iniciais do próprio caudilho Francisco Franco e de seu partido, a Falange.

As estruturas e equipamentos dessas agências, algumas das quais vinham desde o século XIX, serviram para capacitar a nova agência nacional, que já nascia com um potencial de divulgação fortalecido.

A EFE trabalha com uma hierarquia operacional regionalizada, com escritórios dedicados a cada serviço em idioma e área de destino específico, incluindo América (Miami), Brasil (São Paulo), América Latina (Bogotá), América Central (Cidade do Panamá), Cone Sul (Montevidéu), Ásia (Bangcoc) e árabe (Cairo).

Nos anos 70, a EFE montou a Agencia Centroamericana de Noticias (ACAN), uma parceria de jornais privados da América Central sob os auspícios da agência espanhola.

De 1995 a 2003, a espanhola EFE teve um serviço em árabe, sediado em Granada.

Benayas (2006), ex-executivo da EFE, afirma que a atual “posição das agências de notícias na cadeia de valor de produção e distribuição aproxima-se do consumidor”, o que é de fato inédito para essas empresas, acostumadas a trabalhar no atacado e não no varejo.

Anúncios