Morreu na manhã desta terça-feira (22/5), em São Paulo, aos 86 anos, o jornalista Alberto Dines, idealizador e fundador da Agência Jornal do Brasil (AJB), que por décadas foi a agência de notícias mais importante do país. Criada em 1966 por Dines em parceria com Luiz Carlos de Oliveira, a AJB fornecia material do Jornal do Brasil e da Rádio JB para outros veículos, especialmente do interior.

Em um de seus vários livros, O Papel do Jornal e a Profissão de Jornalista, Dines reconta o episódio da criação da AJB:

No Brasil, uma tímida experiência cooperativa foi empreendida no Jornal do Brasil, quando, em 1966, fundou-se a Agência JB, Serviços de Imprensa Ltda., que funcionava como agência de notícias para jornais do interior e do exterior. Sua constituição acionária era inédita: 51% pertenciam aos proprietários do Grupo JB e o restante aos principais executivos da redação. Apesar de grandes dificuldades –tanto na área da redação, pelas razões antes expostas, como na da diretoria, por outras óbvias –, a AJB foi um sucesso jornalístico, tendo se transformado na grande e única agência brasileira e num êxito comercial. Seu balancete de novembro de 1973 dava um resultado positivo de US$ 128 mil ao câmbio da época. No rol de seus clientes regulares encontravam-se todos os grandes jornais brasileiros fora do Rio e de São Paulo.

Por pelo menos 25 anos, a Agência JB foi a líder do segmento de agências no Brasil, à frente das concorrentes Meridional, Agência Estado, Agência O Globo e Folhapress. Começou a perder mercado no início dos anos 90, quando investiu na criação de um serviço financeiro em tempo real na extinta Bolsa de Valores do Rio, o SIN, e ao mesmo tempo a Agência Estado comprou serviço o concorrente Broadcast, que fazia o mesmo na Bovespa.

Alberto Dines na época da criação da Agência JB
Alberto Dines na época da criação da Agência JB

Nascido no Rio de Janeiro, em 1932, numa família judaica, Dines começou a carreira na revista A Cena Muda, da Cia. Editora Americana, antes de ir para a Visão, de uma editora estadunidense. Ingressou no JB em 1962, já como editor-chefe, e permaneceu no cargo até 1973, pouco depois do golpe no Chile, quando idealizou a histórica primeira página sem manchete.

Dines era casado com a também jornalista Norma Couri e deixa quatro filhos.

Anúncios