Após um longo hiato, o Boletim da Semana volta mais uma vez à sua publicação normal neste blog. O motivo da ausência é o envolvimento de todos os editores do blog com a escritura de suas respectivas teses de doutorado. Esperamos sinceramente que este retorno seja definitivo, sem mais pausas. Um estudo mostra a mudança na rotina editorial das agências com o acesso às métricas de audiência; agências árabes e italiana fazem pacto contra terrorismo; agências se reúnem na China para aderir à Nova Rota da Seda; e vários acordos de cooperação são assinados ou renovados — isso e mais no Boletim da Semana.

ANSA e agências árabes assinam acordo de cooperação – A agência de notícias italiana ANSA e a FANA (Federação das Agências de Notícias Árabes) assinaram um acordo de cooperação na sexta-feira (22/9), no encerramento do fórum de representantes de agências árabes e europeias, em Roma (foto no alto). Pelo acordo, ANSA e FANA vão “aprofundar as relações e o diálogo sobre os principais problemas, os desafios comuns e as novas fronteiras do jornalismo e da tecnologia”. O presidente da ANSA, Giuseppe Cerbone, disse que “o diálogo sobre questões de informação é estratégico”, e nele “as agências exercem um papel essencial”. O encontro, que aconteceu na sede da agência italiana, teve como tema “O Futuro das Agências de Notícias e seu papel no Combate ao Terrorismo”. A declaração final do encontro cita o valor das agências de notícias como a “principal fonte de informações de confiança”, enfatizando a sua contribuição para a “paz e segurança a nível local, regional, nacional e internacional”, em um contexto de “crescente desinformação e propaganda”. As agências decidiram estabelecer uma “comissão de diálogo” entre elas, em que a ANSA servirá como “ponto de contato” entre as agências da FANA e as principais agências européias. Além de Cerbone, estiveram presentes o diretor-geral da KUNA (Kuwait), xeque Mubarak Duaij Al-Ibrahim Al-Sabah (que também preside a FANA), e o diretor do departamento de mídia da WAM (Emirados), Abdullah Abdul Karim. O evento acontece em meio à crise diplomática, desatada em junho, entre o Catar e países do Golfo Pérsico – especialmente Arábia Saudita, Bahrein e Emirados Árabes -, além do Egito, em que o primeiro país é acusado, pelos demais, de “proteger terroristas”. A troca de acusações entre os países árabes é feita especialmente por meio de suas respectivas agências de notícias, todas filiadas à FANA.

Agências se preocupam com métricas de audiência na web, demonstra estudo – Uma pesquisa realizada em 2016 no Instituto Reuters, em Oxford, na Inglaterra, verificou que agências de notícias estão tomando decisões editoriais baseadas no feedback de leitores finais graças a métricas de audiência nas interfaces digitais, e não mais apenas pelo retorno dos clientes-mídia. O estudo foi conduzido pelo pesquisador austríaco Christoph Schlemmer, que monitorou a forma como 31 agências de notícias, incluindo Reuters, AP, Bloomberg, DPA (Alemanha), AAP (Austrália), ANSA (Itália), Kyodo (Japão) e TASS (Rússia), utilizam plataformas para medição de acessos, como o Google Analytics, para acompanhar a disseminação de seus conteúdos na web, em redes sociais e em aplicativos móveis. Schlemmer constatou que as métricas de audiência, uma novidade para empresas antes acostumadas a tratar somente com clientes corporativos (B2B, ou business-to-business), vem influenciando decisões editoriais nessas redações. Um dos usos principais dessas métricas, segundo o autor, é reduzir o “lixo”: material produzido pelas agências que tem baixa disseminação. A pesquisa foi patrocinada pela agência de notícias APA, da Áustria, obde Schlemmer é repórter de economia. A íntegra pode ser acessada aqui.

Presidente da EFE diz que notícias falsas “atrofiam a mente” – O presidente da agência de notícias espanhola EFE, José Antonio Vera, comparou as notícias falsas à indústria da junk food na terça-feira (19/9), afirmando que elas fazem mal ao cérebro. “Sem percebermos, todas essas mentiras e adulterações da realidade vão formar parte de nossas opiniões e nos tornamos intolerantes e sectários. Elas atrofiam nossas mentes”, disse Vera. A declaração foi feita durante o III Fórum de Cooperação de Mídia da Nova Rota da Seda, em Dunhuang, na China. O evento teve participação de agências e veículos de mídia de 126 países, inclusive Reuters, Associated Press, Bloomberg, EFE, TASS, Sputnik, Notimex, Télam (Argentina) e Prensa Latina (Cuba).

Azerbaijão reabre processo por sonegação contra agência Turan – O órgão de receita fiscal do Azerbaijão reiterou (19/9) a acusação pendente contra a Turan, agência de notícias privada do país que desde agosto está suspensa por suspeita de sonegação de impostos. A dívida alegada chega a US$ 21,5 mil, mais multas relativas a impostos pendentes desde 2014. Em agosto, o diretor da Turan, Mehman Aliyev, chegou a ser preso pelo mesmo motivo e os bens da agência foram congelados. No dia 12/9, o órgão fiscal havia suspendido o processo, mas voltou atrás uma semana depois.

TASR, da Eslováquia, recebe prêmio de excelência por agregador digital – A agência de notícias da República Eslovaca, TASR, recebeu o Prêmio 2017 de Excelência em Qualidade de Agência de Notícias em reconhecimento ao seu agregador de mídias sociais, SomeCan, na quinta-feira (21/9) em Belgrado, na Sérvia. O SomeCan é uma ferramenta desenvolvida por uma equipe liderada pelo editor-chefe da TASR, Marian Kolar. É a primeira vez que a agência eslovaca ganha o prêmio. O prêmio é concedido anualmente pela EANA (Aliança Européia de Agências de Notícias). A honraria foi entregue pelo editor-chefe da agência sueca TT, Jonas Ericsson, atual presidente da EANA. A competição envolveu 32 agências de notícias na Europa. No ano passado, o título foi para a agência DPA, da Alemanha. “Este prêmio mostra que mesmo as pequenas agências, como a TASR, podem ter sucesso ao competir com gigantes, desde que sejam sistematicamente dedicadas à inovação”, disse diretor-geral da TASR, Vladimir Puchala.

Agências da Rússia e da Mongólia expandem cooperação – A agência de notícias MONTSAME, da Mongólia, e a congênere russa Sputnik, estabeleceram um acordo de cooperação na terça-feira (19/9) em Ulan-Bator, capital mongol. O documento foi assinado por Sergei Kochetkov, redator-chefe da Sputnik, e Ganchimeg Badamdorj, diretor-geral da MONTSAME. O documento que complementa o atual memorando de cooperação entre as duas agências, e agora elas decidiram expandir a cooperação na produção e intercâmbio de conteúdo. Também prometeram fortalecer os laços profissionais e trocar experiências nos meios de comunicação.

Refrega Trump-Kim traz KCNA de volta ao centro das atenções – A agência nacional da Coreia do Norte, KCNA (Korea Central News Agency), voltou ao centro das atenções midiáticas nesta semana após o presidente dos EUA, Donald Trump, atacar verbalmente e em público seu colega norte-coreano, Kim Jong-un. Durante seu discurso na Assembleia Geral da ONU, na terça-feira (19/9), o presidente ianque ameaçou “destruir totalmente” o país asiático. Em reação, a KCNA publicou declarações pessoais do presidente Kim chamando Trump de “gagá”. A agência Fars, do Irã, também veiculou outra resposta oficial aos ataques de Trump, que sugeriu cancelar o acordo entre seu país e Teerã. O chanceler iraniano, Mohammad Javad Zarif, chamou as declarações do ianque de “desavergonhadas” e “ignorantes”.

Anadolu apóia pedido de agência da Bósnia para entrar na EANA – A agência nacional da Turquia, Ajans Anadolu, declarou apoio, na quarta-feira (20/9) à solicitação feita pela agência FENA, da Bósnia, para entrar na EANA (Aliança Europeia de Agências de Notícias). A FENA é uma das duas agências de notícias estatais da Bósnia-Herzegovina, parte da Federação da Bósnia e Herzegovina (crotas e muçulmanos) dividindo o setor com a SRNA, relativa à República Sérvia da Bósnia (etnicamente sérvios). A zona muçulmana da antiga Iugoslávia recebe apoio político e econômico da Turquia, que dominou a região por quase 500 anos, entre 1389 e 1878.

Website da Notimex sai do ar durante terremoto no México – O site oficial da agência de notícias mexicana Notimex ficou inacessível durante as primeiras horas após o terremoto de 7,1 graus na escala Richter que devastou a Cidade do México, na terça-feira (19/9). A página voltou ao ar na noite do mesmo dia. Jornalistas que recorreram à edição virtual da agência para fazer sua cobertura da tragédia não puderam contar com o material no início. A Notimex, agência oficial do estado mexicano, é conhecida por sua excelência na produção de infográficos. Ela foi criada em 1968, logo antes da Olimpíada realizada na cidade, naquele ano.

Anúncios