A semana que passou manteve as polêmicas sobre a posse do novo presidente dos EUA, Donald Trump, sobre uma comparação de fotos da Reuters e com os protestos anti-Trump cobertos pela AFP em vídeos de 360º. Enquanto isso, em Moscou, a TASS abriu uma exposição de fotos de pautas humanitárias em guerras. Confira o nosso boletim.

Foto da Reuters sobre posse de Trump gera polêmica – A foto panorâmica da posse do presidente norte-americano, Donald Trump, que foi contestada pela assessoria da Casa Branca, foi tirada pelo fotógrafo Lucas Jackson, da agência Reuters. O novo porta-voz do governo ianque, Sean Spicer, contestou a veracidade da imagem e insinuou que a agência estaria fraudando a informação. Quando comparada com outra foto tirada do mesmo lugar e ângulo na primeira posse de Barack Obama, em 2009, a imagem mostra como havia muito menos gente na Esplanada Nacional (National Mall) de Washington na semana passada em relação a oito anos atrás. O registro da posse de Obama, aliás, também foi feito pela agência britânica, pelo fotógrafo Stelios Varias. Ambas as fotos foram batidas do alto do obelisco da cidade. Na sexta-feira, dia 20, a agência enviou aos clientes um painel digital com as duas imagens lado a lado (no alto deste post) – sem fazer comentários sobre a diferença.

AFP também entra no mundo do vídeo 360º – Depois da Associated Press e da Reuters, a AFP (Agence France-Presse) também passou a produzir os chamados vídeos “em 360º” e publicá-los na plataforma YouTube. A agência francesa usou o recurso para captar os protestos contra Donald Trump nos EUA, incluindo a Marcha das Mulheres que ocorreu em centenas de cidades norte-americanas (vídeo acima). O vídeo em 360º, ou vídeo imersivo (erroneamente chamado às vezes de “vídeo 3D”), permite mudar o ângulo de câmera enquanto é assistido, sem interromper as imagens em movimento. A AFP já tinha feito experiências com a tecnologia em 2012, cobrindo o rali Paris-Dacar. Como já analisado aqui no blog, a Associated Press vem investindo nos chamados “vídeos imersivos” como um produto extra para clientes que já estão no ambiente digital, fora da mídia analógica (impresso, TV, rádio). Este mês, a AP divulgou como funciona seu programa de treinamento para repórteres e cinegrafistas produzirem esses VTs com câmeras esféricas, o que exige preocupações com o posicionamento dos jornalistas e do microfone, por exemplo. Esta semana, a TV Al-Jazeera (que não é uma agência!) publicou no YouTube uma reportagem em 360º gravada nas ruínas de Mohenjo-Daro, no Paquistão (uma das primeiras cidades da humanidade), como já tinha feito em 2015 com a hajj, a peregrinação muçulmana a Meca. A BBC britânica e a rede norte-americana ABC também já vêm publicando vídeos realizados em 360 graus de rotação. Na verdade, o nome mais usado também é incorreto, já que a angulação em 360º se refere a um círculo (bidimensional, portanto), e não a uma esfera, que é um círculo rotacionado sobre o próprio eixo.

TASS_IgrejaCristoRedentor_MarinaLystseva.jpg

TASS inaugura exposição de fotos de pautas humanitárias em conflitos – A agência russa TASS inaugurou na quarta-feira (25/1), em Moscou, a exposição de fotos “Guerra e Caridade: as lições da História”, em Moscou. Estão expostas fotos raras do acervo da agência, desde o século XIX, passando por grandes confrontos que envolveram a Rússia, como a Segunda Guerra Mundial, a primeira guerra do Afeganistão e as guerras civis na Tchetchênia. No dia da inauguração a exposição estava no Kremlin e, nos dias seguintes, foi levada para a Igreja do Cristo Redentor (na foto acima), junto à Praça Vermelha. A exposição é montada em parceria com a Cruz Vermelha Internacional e com o Patriarcado da Igreja Ortodoxa Russa. O evento faz parte do calendário comemorativo pelos 100 anos da Revolução Russa.