A agência Reuters lançou um aplicativo de notícias para celulares e tablets que diz ter potencial de se tornar “a versão jornalística do Netflix”, publicou o jornal inglês The Guardian.

Segundo o jornal, o aplicativo é específico da Reuters TV – o serviço de telejornalismo da agência – e oferece “uma cobertura noticiosa com curadoria mas personalizável” por meio de VTs curtos.

O app, diz o Guardian, oferece dois serviços: o “Reuters Now“, uma programação jornalística personalizável e baixável com vídeos de duração entre cinco e 30 minutos, e transmissões ao vivo de eventos globais.

A Reuters diz que o aplicativo visa “um segmento crescente de consumidores informados, móveis e globalmente engajados, na faixa dos 30 e 40 anos, que valorizam a autêntica narrativa de vídeo e estão ocupados demais para assistir aos telejornais da TV tradicional”.

O app deve competir com os de canais all-news, como BBC, Sky News, CNN, Bloomberg TV, CNBC e Fox Business.

“A nossa forma de consumir televisão e ouvir notícias mudou”, disse Isaac Showman, diretor da Reuters TV, ao Guardian. “É notícia para a era do Netflix: é individualmente relevante, sob demanda e atualizada. É ideal para a visualização durante o transporte diário”.

O conteúdo será produzido em várias versões e organizado por equipes editoriais em Londres, Hong Kong, Nova York e Washington, ainda segundo o jornal inglês. O conteúdo virá dos 2,5 mil jornalistas da Reuters em mais de 160 países.

“Esta é uma forma radicalmente nova de apresentar notícias direto para os consumidores”, disse Dan Colarusso, editor-executivo da Reuters TV. “Será rápido quando precisar ser rápido, profundo quando os espectadores quiserem profundidade, mas, o mais importante: serão notícias autênticas, vindas diretamente da fonte e dos jornalistas na rua”.

Por enquanto, o app Reuters TV está disponível exclusivamente na App Store nos EUA e Reino Unido, ainda sem versão para Android. O acesso é cobrado. O aplicativo também terrá publicidade limitada.